O Cenário Macro Econômico para 2013 em Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais é um dos melhores e é fruto daquele ditado chinês: Eu semeio eu colho! O governo passado com uma equipe técnica comprometida com o município se empenhou em atrair investimentos aproveitando as variáveis atrativas de nossa cidade e com isso, juntando o incentivo fiscal do Estado, conseguiram uma série de investimentos em plantas industriais e em expansão industrial da ordem de 1 bilhão e meio de reais, tendo perspectivas de geração de empregos da ordem de 9 mil empregos diretos.

 Enquanto o país sofria violentamente com a crise mundial, Juiz de Fora vivia outros ares. Agora com outro governo a cidade ainda consegue dar continuidade a prosperidade produtiva, existem sinais que desenham mais 8 investimentos na cidade, fora os 16 anteriores, não é para comemorar. Tenho que dar valor ao trabalho dos técnicos economistas que conseguiram esse intento, apesar de muitos críticos acharem que economista é igual a Mães Dinas ou os reis do achismo, valeu companheiros.

Vivemos durante 5 anos uma forte crise, que afetou nossa cidade principalmente na indústria de transformação nas categorias médias e grandes, que dependem muito do comércio internacional. Estamos como no país inteiro com o pé no freio, mas bem atento as mutações macroeconômicas, é como se fosse à competição dos 200 metros rasos, esperando o tiro. Não há mal que perdure, acredito em um renascer industrial ainda este ano, a economia não pode parar e o país é uma grande potência.

 Em 2012, apesar do esforço do governo em incentivar o consumo através de medidas macroprudenciais, como a redução do IPI, redução de encargos de folha de pagamentos de alguns setores, redução de taxa de juros e aumento do período de financiamento, redução do custo da energia, acredito que isso não foi suficiente para reverter à curva descendente da indústria, pois tivemos um agravante que foi a entrada de produtos chineses, com preços incríveis e qualidade da pior espécie.

 Juiz de Fora, tem atualmente cerca de 3.393 industrias sendo que 98% é micro e pequenas empresas com faturamento anual de 3 Milhões e Seiscentos Mil Reais, conforme o Estatuto de Micro e Pequena Empresa.

Apesar de ter tido durante vários anos uma vocação industrial referente ao setor de confecções, atualmente começa a aparecer setores fortes como Metalúrgico, Construção Civil, Confecções. Alimentação e Químico Fármaco.

Na exportação se destaca o setor metalúrgico e a grande esperança é a retomada de produção da Mercedes Benz, pois o seu valor agregado é bem representativo e irá sem dúvida colocar nossa cidade em lugar de destaque no cenário.

 As médias e grandes empresas que representam apenas 2% do universo produtivo sofrem com a crise internacional, mas as micros e pequenas empresas vivem na sua totalidade no mercado domestico e alguns setores é que sofrem com a concorrência chinesa, o restante compete nos estados e o que é importante é o preço.

O Governo tem incentivado o consumo interno e esse consumo vai direto para o setor das micros e pequenas empresas.

 Juiz de Fora em aspecto logístico é grau 10 e isso tem atraído investimentos nos setores comerciais, serviços e industriais. Polícia Militar de excelente qualidade, greves raríssimas, equilíbrio entre os sindicatos patronais e de trabalhadores, gás, fibra óptica, água, universidades, faculdades, cursos técnicos, incentivo fiscal estadual, instituições de apoio na capacitação, como, o SENAI, o SENAC, o SEBRAE, o SENAR, o SEST/SENAT, o IF SUDESTE, o Colégio Pio XII, O CIJF, a FIEMG, etc

 Com a chegada das Olimpíadas e Copa do Mundo, a riqueza tem o seu lugar. Aeroporto Regional, Restaurantes, Hotéis, Bares, Empresas de Viagens, Universidade Federal – Campus Universitário, Haras Morena em Matias Barbosa, treinamento de seleção no campo de futebol da UFJF, é a redenção, oportunidade única. Agora a pergunta é: Só vimos no Brasil às obras dos estádios de futebol, o resto ainda está engatinhando, será que vai dar tempo para estarmos pronto.

 Alguns executivos passados sempre falaram em melhoria de qualidade de vida de nossa cidade, está é a oportunidade, mas sempre falo tem que ter planejamento. Acho que eu estou ficando chato de tanto falar em planejamento, mas pare para pensar e depois desses megas eventos como será a nossa cidade, temos que planejar.

A recuperação da economia em grande parte se dará em 2014, mas este ano faremos todo o esforço para plantar e colher em 2014 e 2016.

Juiz de Fora a cidade do Futuro.