Nem tudo é Azul na cidade Princesinha de Minas, minha querida Juiz de Fora.

Tenho um projeto denominado “Oficina de Idéias” que se baseia em uma ação comunitária envolvendo os principais atores da sociedade na busca de soluções para os problemas existentes.

Quando terminamos de executá-lo, identificados os lideres e os responsáveis pela a execução dos projetos, deixamos bem claro que a mutação no ambiente será fruto da participação com vontade da comunidade e que nós, só mostramos o caminho, pois quem vive e irá viver na cidade são eles, a cidade é o retrato da comunidade.

Não estou filosofando não, isso é a pura verdade, pense e você irá concordar comigo, não adianta andar de cabeça erguida, alguns com melancia na cabeça, se você o que representa não fez nada para merecer esse ato, arrogante. Temos sim é que estarmos satisfeitos em nosso interior pela cidade em que vivemos e ajudamos a crescer e a desenvolver, motivo de orgulho.

Vivemos atualmente o dilema da Azul Cia Aérea, já confirmado e selado. A Azul encerra linhas de Juiz de Fora para São Paulo e Belo Horizonte. Uma cidade em tempos modernos tem a obrigação junto à sociedade de ter um aeroporto imponente e viável, uma porta aberta para o mundo, tanto em turismo quanto em negócios.

Sempre tivemos um Aeroclube na Serrinha e que veio se transformar sem critérios de segurança em um Aeroporto se assim pode dizer. Quando estivemos no Governo do Estado, Mello Reis buscou alternativas para a construção de um aeroporto, fizemos estudos em Matias Barbosa e em Rio Novo. Um engenheiro do estado fez o projeto estrutural do aeroporto a pedido do Itamar Franco, após Mello Reis entregar ao então Presidente da República o projeto, solicitando ao então Secretário de Obras do Estado a sua alocação no orçamento do Estado, possibilitando assim, a sua concretização.

Com o tempo o nosso Itamar Franco tornou-se realidade dois fundamentais sonhos, puros vetores de desenvolvimento: O Expominas e o Aeroporto Regional. Super criticado pelas duas obras, diziam os populistas que esse investimento deveria se aplicado em construção de várias escolas e creches, precisa eu dizer quem são eles?

Itamar ficou bem chateado. Todos queriam que fossem feitas obras no Aeroporto da Serrinha, com apontamentos da Infraero e Anac.

O Aeroporto Regional, hoje denominado Itamar Franco, depois de 10 anos está pronto para cumprir sua finalidade depois de vários entraves do governo em termos de obras. Estamos esperançosos que se transforme em Aeroporto Internacional, para que possamos fomentar o desenvolvimento da região e não vai deixar de atender os voôs de passageiros.

Atualmente todos apóiam o Aeroporto Regional, com diversos interesses e ainda existem camuflados os opositores. Gente, não podemos perder este investimento do século.

Vimos então à possibilidade de aproveitarmos o Aeroporto Regional para vôos domésticos de passageiros, já que o mesmo foi feito com o objetivo de cargas. Quando participei desse projeto com o Economista Jackson, nós calculamos não só um começo de carga como de passageiros para a região.

Voltando ao Aeroporto da Serrinha, a TAM comprava a Pantanal para utilizar seus slots e assim perdíamos os vôos estratégicos, o que volta a se repetir com a AZUL que comprou a Trip e agora faz o mesmo ato. São empresas privadas que buscam em uma economia capitalista o lucro, seu direito sagrado.Sempre irão cmprar as pequenas Cias.

O que não da para entender é que várias entidades apresentaram estatísticas sobre a utilização dos vôos e demonstraram a sociedade que era viável a continuidade dos vôos., existem passageiros.

Vimos muitos investimentos saírem de Juiz de Fora, alguns na calada da noite outros com o dia claro e ninguém fez nada. Por isso é que dizemos que falta representatividade política casada com a comunidade, apesar de a empresa ser privada, acredito que deveríamos ter buscado alternativas e acordos, pois nada é impossível de se fazer ou realizar. O Goveno de maineira geral deveria ter assentando a mesa das negociações e que assumisse alguns custos em beneficio de nossa comunidade, acredito que isso não foi feito.

Outra coisa que me chamou a atenção pela imprensa é que várias pessoas criticavam o Aeroporto Regional dizendo ser muito longe e que preferiam o da Serrinha. Lógico se vc tiver um aeroporto no quintal de sua casa é muito mais confortável, mas e a segurança. Quando participei de congresso sobre aeroportos no RJ pudemos aprender que não se constrói aeroporto dentro de cidades, pois podem provocar inúmeros acidentes graves, filme que já assistimos. Agora que é preferível ir pegar avião no RJ do que no Regional é uma piada, pois o RJ temos um fator bastante agradável que é a segurança. Somos muito acomodados, outro defeito. O Aeroporto Regional será viavel para voos de passagerios se os voos forem para as cidades, tais: São Paulo direto;Rio de Janeiro;Belo Horizonte e delá as conexões, pois a atual situação está incomodando demais os nossos empresários, o desgaste fisico e de tempo estão insuportáveis.

O nosso Aeroporto da serrinha precisa de investimentos urgentes e devemos aproveitar também o Aeroporto Regional, que é um aeroporto dos melhores do Brasil, ainda mais como gargalo aéreo que estamos vivendo no país, uma alternativa das melhores para a nossa aviação.

Se quisermos ser o que desejamos ser, temos que participar e cobrar atitudes temos que lutar pelos nossos direitos, temos que dialogar, temos que negociar, temos que ter um líder. Temos que buscar alternativas de outras Cias, o que a gestora está fazendo. Não esqueçam nossa cidade é o nosso retrato, é o nosso reflexo, não são os outros é que vão dizer o que somos, ou o que deveríamos ser.

Prescisamos ter atitudes, chega de engolir sapos.