Empreendedorismo um dilema.

 

Existem muitas correntes sobre o conceito e visualização de uma pessoa empreendedora, algumas acreditam que para se obter sucesso torna-se necessário um grande pitada de paixão no processo e que isso garante o resultado, somados logicamente ao dom que nasce com você; outra corrente discorda e vê que o verdadeiro empreendedor é aquele detentor de competência que precisa desenvolvê-la, para vencer as armadilhas da vida empresarial.

Realmente acredito que o empreendedor tem que desenvolver novos conhecimentos, aperfeiçoar os existentes e buscar habilidades que não as possui. Tem que saber aprender a aprender todos os dias, aumentar a sua rede de contatos (network) e seguir o seu norte através de seu Plano de Negócios.

Procure ouvir mais do que dizer, seja sábio.

O que me deixa triste é que a atual crise no país, com um recessão gigantesca, nunca dante vista, atrapalha sensivelmente o ambiente empreendedor, polui o mercado. O risco de dar certo é enorme, pois não existe constância nas políticas econômicas e públicas. Muita gente em função do desemprego busca empreender achando que é fácil, não levando em consideração os conceitos definidos na introdução desse artigo e ai o fracasso é certo.

Nesse cenário o planejamento fica sem pega e os planos de quem está empreendendo se perdem. Mas muita gente usa a crise como desculpa e não pode ser assim.

Você, como empreendedor, tem uma responsabilidade muito maior de fazer o negócio dar certo do que a crise ou o governo. Por outro lado, a crise, com o desemprego, empurra muita gente para empreender, mesmo meio a contragosto ou mal preparado. E aí podemos gerar uma legião de gente que vai empreender pelos motivos errados ou com competências erradas.

Precisamos urgentemente buscar a inovação com o norte salvador, antes que a crise nos elimine. invista.

Outro norte é tornarmos resilientes. A plasticidade que o brasileiro tem de se adaptar a mudanças, de ir se moldando, é tremenda. Vivemos um ambiente político e institucional complicado, com uma burocracia terrível. Se você consegue empreender com sucesso nesse ambiente, pode, em tese, fazer isso em qualquer parte do mundo. Mas tem duas coisas do outro lado que precisamos melhorar. A principal é a falta de ambição. Em todas as pesquisas internacionais de empreendedorismo o Brasil sempre está nas piores posições quando o quesito é ambição para crescer, gerar emprego, inovar, se internacionalizar. Estamos vendo isso timidamente começar a mudar. Junto com a falta de ambição, vem essa história de que não precisamos nos preparar.

Nosso país apesar de ter bons indicadores de empreendedorismo no ranking mundial, acho que nunca tivemos histórico sobre a matéria causando então dúvidas sobre os conceitos relativos à obtenção de sucessos, levando em consideração o dom natural ou o desenvolvimento de competência, visto que os start se dá pelo o exercício do sonho formalizado pelo Plano de Negócios.

Existem casos que as pessoas sonham sem competência e habilidades e vão logo dando um chute no emprego e buscando trabalhar por conta própria, isso não é empreender. É construir valor, construir um modelo de negócio, a forma como as coisas são feitas, questionar a realidade, não é um tiro no escuro.

Muitos adotam o modelo como a franquia e se acham empreendedores, porém isso não condiz com a realidade. Ela te dá segurança e autonomia e gosto do modelo como negócio, porém não vejo o ato como empreender. Empreender é construir uma nova realidade, novas formas de produzir, novas relações de trabalho gerando uma nova economia.

As oportunidades no país são enormes, depende somente de sua atitude, bons ventos estão por porvir.

Leave a Comment